As fotos deste Blog são de mérito de quem as tirou. O crédito mencionado a cada foto é de quem possui cópias ou até mesmo as originais.

quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Igreja São Sebastião, Rua Santo Antônio, atrás do Parque Halfeld, sem data (arquivo de Marcelo José Lemos).



Pantaleone Arcuri & Spinelli, Fábrica de Ladrilhos e Mosaicos, Rua Espírito Santo, sem data (arquivo de Marcelo José Lemos).

A construção defronte ao caminhão foi demolida e a seguinte ainda existe.

Rua Espírito Santo, Castelinho da Cia. Mineira de Eletricidade, sem data (arquivo de Marcelo José Lemos).



Ônibus Linha Juiz de Fora Parque Redentor, sem data (arquivo de Marcelo José Lemos).

Acho que esse ônibus saía do Parque Halfeld e tinha seu trajeto final no Mirante do Cristo.

Av. Rio Branco, Bairros Bom Pastor e Passos, sem data (arquivo de Marcelo José Lemos).



Rua Mariano Procópio, Estação Ferroviária de Mariano Procópio, sem data (arquivo de Marcelo José Lemos).



terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Av. Rio Branco, a começar do Largo do Riachuelo, em 1854 e 1921. A foto da Av. Rio Branco de 1921 é de autoria de Sabino Brescia. Do Almanaque Minas Illustrada, junho de 1921 (arquivo de Marcelo José Lemos).

Dois aspectos de Juiz de Fora, que demonstram, com flagrante opportunidade, seu surto progressista. A photographia que se encontra em primeiro plano representa um trecho da rua Direita, hoje avenida Rio Branco, a começar do Largo Riachuelo, em 1854 e a outra, parte do mesmo trecho em 1921.


quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Primeiro automóvel que circulou em Juiz de Fora, sem data (arquivo de Marcelo José Lemos).


Em 14 de novembro de 1912 ocorria o primeiro desastre de automóvel na cidade, em consequência do qual saiu gravemente ferido o motorista Júlio Franco, falecendo o seu ajudante, Horácio Antunes (do livro de Paulino de Oliveira, Efemérides Juizforanas).

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Av. Rio Branco esquina com a Rua Mister Moore, sem data (arquivo de Marcelo José Lemos).

A casa em frente aos ciclistas (Av. Rio Branco, nº 2009) pertenceu ao grande poeta Belmiro Braga.
No espaço aberto, à esquerda da COMAP, foi a residência dos Montreuil, que foi demolida para a abertura da Rua Mister Moore, e à direita da COMAP foi a residência e consultório do médico Lindolpho Ferreira Lage (Av. Rio Branco, nº 2037).



Bar Salvaterra, Rua Halfeld, nº 695, em novembro de 1958 (foto autoria de Bastos Barreto).

Pode se ver a entrada do Cine Teatro Central.